close
El País

Na Argentina, falar da ditadura e dos militares que a conduziram é motivo de desonra

Na Argentina, falar da ditadura e dos militares que a conduziram é motivo de desonra




Em 18 de setembro de 1985, o procurador Julio César Strassera completou 52 anos. Uma coincidência o levou a ficar nesse dia diante dos militares que logo seriam sentenciados por crimes contra a humanidade cometidos durante a ditadura. Strassera tinha trabalhado duro para conseguir a condenação de Jorge Rafael Videla, Emilio Massera, Leopoldo Galtieri, Armando Lambruschini e Orlando Agosti por criarem um plano repressivo que deixou 30.000 vítimas, entre mortos e desaparecidos. O argumento do promotor colocou um ponto na história argentina. Strassera citou Dante Alighieri e chamou os responsáveis pelo terrorismo de Estado de “tiranos que viveram de sangue e rapinagem”. E concluiu sua leitura com uma frase que ainda produz calafrios nos argentinos: “Senhores juízes, nunca mais”. O tribunal teve que pedir à polícia que esvaziasse a sala, que irrompeu eufórica.Seguir leyendo.



Source link : https://brasil.elpais.com/brasil/2019/03/30/opinion/1553971198_297214.html#?ref=rss&format=simple&link=link

Author : Federico Rivas Molina

Publish date : 2019-03-31 14:31:56

Copyright for syndicated content belongs to the linked Source.

Tags : El País

The author News2